A razão que devemos batizar em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo

Josh Buice

body of water under sky

A doutrina importa.  Você testemunhou um batismo nos dias recentes na companhia de sua igreja reunida apenas para perguntar-se interiormente por que o pastor faz tal ênfase sobre o batismo sendo realizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo?  Realmente importa?  É apropriado simplesmente batizar em nome do Jesus?

O testemunho de ser salvo por Deus

A fórmula bíblica do batismo é a fórmula trinitária do Pai, do Filho e do Espírito Santo.  Há algo claramente comunicado a todas as testemunhas enquanto o novo crente está imerso debaixo d’água em nome da Trindade.  A salvação de cada pecador se completa por todas as três pessoas da Trindade.  Portanto, é mais apropriado que o pecador deve dar louvor ao Deus trino na água como uma profissão de fé no único Deus vivo e verdadeiro.  Quando Jesus instrui seus discípulos para ir e fazer os discípulos de todas as nações e batizar-lhes em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo—vale a pena indicar que o substantivo (ὄνομα) traduzido “nome” é singular em Mateus 28:19.  Portanto, as três pessoas distintas co-iguais e co-eternas da Trindade não são três deidades diferentes, mas três pessoas distintas que formam o único Deus verdadeiro.

B. B. Warfield uma vez disse o seguinte: “Esta é a característica distintiva dos cristãos; e isso é tanto como dizer que a doutrina da Trindade é, de acordo com a própria compreensão de nosso Senhor, é a marca distintiva da religião que ele fundou.”1 B. B. Warfield, “The Biblical Doctrine of the Trinity,” The Works of Benjamin B. Warfield, (Grand Rapids: Baker Book House, 1981) II: 143. É vitalmente importante ensinar aos novos crentes que quando eles entrarem na água serão batizados em nome do Pai que os escolheu antes da fundação do mundo (Ef. 1:2), do filho que morreu por eles na cruz (João 10:11, 15), e do Espírito de Deus que os convenceu do pecado e os trouxe a um lugar de arrependimento e submissão a Deus através da Palavra de Deus (1 Pe. 1:2).  Os novos cristãos não devem ser confundidos com a fórmula trinitária enquanto estão de pé na água durante o batismo.

Jesus ordenou a fórmula trinitária

Quando se trata de sua fé e prática, é fundamental construir suas posições doutrinárias e formular suas posições de como viver sua fé com base nos ensinamentos claros de Jesus.  Se Jesus ordena algo, não há necessidade de orar sobre isso ou considerá-lo.  Os mandamentos de Jesus nunca devem ser rebaixados ao nível de uma consideração.  Jesus disse, “Se me amais, guardareis os meus mandamentos” (João 14:15)

Pouco antes da ascensão de Jesus após sua morte, sepultamento e ressurreição—Jesus fez uma declaração que temos memorizado e usado como as nossas ordens de marcha como a igreja de Cristo.  Ele disse:

Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra.  Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado.  E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século. (Mateus 28:18-20)

Enquanto tivermos evidências bíblicas de novos crentes sendo batizados em nome de Jesus no Novo Testamento, parece claro que a razão para essa declaração em particular estava centrada no fato de que Jesus foi amplamente rejeitado como o Messias de Deus e os discípulos primitivos estavam elevando Jesus a uma posição de destaque.  Em resumo, eles estavam abraçando Jesus como Cristo.

Entretanto, quando vemos as palavras de Jesus ao final de seu ministério público, notamos que ele ordena a fórmula trinitária em oposição à fórmula “só Jesus”.  Além disso, ao longo da história, a fórmula “só Jesus” tem sido usada por grupos heréticos como os pentecostais unicistas que têm posições doutrinárias aberrantes e deficientes que estão claramente além dos limites da ortodoxia.   A igreja de Jesus deve seguir os mandamentos de Jesus sobre o batismo.

A fórmula trinitária era o padrão da igreja primitiva.

A igreja primitiva acreditava e abraçava a doutrina da Trindade e apontava para essa realidade na forma como eles batizavam os novos convertidos.  Assim como Jesus ordenou, a igreja primitiva colocou em prática a fórmula trinitária.  De acordo com o didache, encontramos as seguintes palavras referentes ao batismo:

“Mas quanto ao batismo, batizai assim: tendo recitado primeiro todos estes preceitos, batizai em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, em água corrente.” (Didache 7:1)

O didache foi um tratado da igreja primitiva que explicava os ensinamentos de Jesus pelos apóstolos.  A primeira linha descreve o documento como “o ensina do Senhor aos gentios (ou nações) pelos doze apóstolos.”  Igualmente deve ser notado que, enquanto Jesus ordenou e a igreja primitiva praticou a fórmula trinitária do batismo, aparentemente eles estavam ensinando alguma doutrina antes de batizar as pessoas como seguidores de Cristo.  Você não acha que seria estranho ter todo focado em Jesus e depois ser batizado em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo?  A doutrina importa.

James White escreveu o seguinte:

Vemos, então, por que o batismo em nome do Pai, Filho e Espírito é tão importante: porque este é o batismo em nome de nosso Deus, o Deus trino que louvamos, servimos e adoramos, o Deus trino que nos salvou.  O Pai—fonte de tudo, eternamente gracioso.  O Filho—Redentor que deixou a glória do céu para salvar suas ovelhas.  O Espírito—o consolador que habita em nós e torna vivas as verdades da fé cristã em nossos corações.  Que outro nome desejaríamos levar além do nome trinitário do Pai, Filho e Espírito?2James White, The Forgotten Trinity, (Minneapolis, Minnesota: Bethany House Publishers), 184.

References

References
1  B. B. Warfield, “The Biblical Doctrine of the Trinity,” The Works of Benjamin B. Warfield, (Grand Rapids: Baker Book House, 1981) II: 143.
2 James White, The Forgotten Trinity, (Minneapolis, Minnesota: Bethany House Publishers), 184.
Author body of water under sky

Josh Buice

Pastor Pray's Mill Baptist Church

Josh Buice is the founder and president of G3 Ministries and serves as the pastor of Pray's Mill Baptist Church on the westside of Atlanta. He enjoys theology, preaching, church history, and has a firm commitment to the local church. He also enjoys many sports and the outdoors including long distance running and high country hunting. He has been writing on Delivered by Grace since he was in seminary and it has expanded with a large readership through the years.

Free Email SubscriptionNew content, product discounts, and more!

Subscribe to our email list below and never miss the latest content or an exclusive offers.